NEWS

Como o Blockchain está moldando os negócios na China

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Durante o mês de setembro, a nossa equipe de negócios digitais e operações internacionais esteve imersa no escritório Jingsh Law Firm, localizado em Pequim, na China para aprender mais sobre o sistema jurídico chinês e operações internacionais digitais e tradicionais. Um  dos objetivos estabelecidos para esta viagem foi formalizar o termo de cooperação com o maior escritório de advocacia chinês, aprofundando os nossos conhecimentos sobre o mercado chinês e a influência da tecnologia e do blockchain nos modelos de negócios liderados pela China.

Como já é sabido, as tecnologias disruptivas são, a toda evidência, um dos principais vetores das recentes alterações nas relações sociais. Dentre elas, a blockchain – tecnologia que suporte o bitcoin – vem ganhando, não por acaso, imenso espaço no mercado. Trata-se de uma tecnologia que cria rapidamente um registro seguro e imutável das transações por ela validade, eliminando, assim, a necessidade de um intermediário.

Dentro deste contexto, a China se destaca com relevantes montantes investidos em projetos suportados pela Blockchain. Conforme dados do report pela Jingdata – sociedade destinada ao desenvolvimento de projetos com a blockchain na China[1],  os aportes financeiros em projetos co-relacionados com a blockchain, em janeiro de 2018, alcançaram 681 milhões de RMB (+- R$ 400 milhões), superando o valor de RMB 468 milhões (+- R$ 270 milhões) em todo o ano de 2016. Os respectivos projetos são, em sua grande maioria, direcionados em fomentas as ambições chinesas com a inovação das indústrias privadas, governo central, governos locais e projetos científicos.

Inclusive, o Presidente Chinês, Xi Jinping, em um discurso proferido no primeiro semestre de 2018[2] afirmou que a blockchain possui aplicações “inovadoras”. Em suma o líder chinês mencionou que uma nova geração de tecnologia representada pela inteligência artificial, informação quântica, comunicações móveis, internet das coisas e blockchain está acelerando aplicações inovadoras.

Não se pode, porém, perder de vista que a China proibiu a comercialização de criptomoedas no ano de 2017 e vem fechando o cerco para as plataformas alternativas de negociações de criptomoedas.

Diante destes fatos, importante acompanhar de perto os projetos chineses, que, com um grande suporte financeiro, devem ser pioneiros em interessantes desdobramentos gerados pela blockchain.

A área de Negócios e Relações Digitais do Küster Machado fica à disposição para responder consultas sobre aplicação e impactos do blockchain em negócios na China e no resto do mundo.

 

Referências

[1] http://fund.jrj.com.cn/2018/02/05143724063144.shtml

[2] http://www.xinhuanet.com/politics/2018-05/28/c_1122901308.htm

Cassius Lobo

Advogado da unidade de Curitiba do escritório Küster Machado, Cassius Lobo faz parte da equipe de Gestão Tributária, Societária e Internacional com foco no contencioso tributário. O profissional é especialista em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, especialista em Contabilidade e Finanças pela Universidade Federal do Paraná e Mestrando em Direito Fiscal pela Universidade Católica de Lisboa.
Küster Machado Advogados
Küster Machado Advogados Com mais de 30 anos de atuação nacional, o Küster Machado Advogados oferece soluções jurídicas abrangentes nas esferas contenciosas e consultivas em mais de 20 áreas do Direito a nível nacional. Possui unidades nas cidades de Curitiba, Blumenau, Londrina, Florianópolis e São Paulo e desks na Suécia, China e Estados Unidos.

Últimos posts desse autor

Negócios digitais e o conceito de insumo

Questão de grandes controvérsias entre os contribuintes, Judiciário e Fisco, e que se encontra parcialmente definido após o julgamento do Recuso Especial n° 1.221.170/PR pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ),

Falando sobre | Ex-Tarifário

Falando Sobre | Ex-TarifárioWatch this video on YouTube você se interessou pelo assunto, entre em contato conosco para saber mais.

OEA – Operador Econômico Autorizado – Certificação

O OEA – Operador Econômico Autorizado – é uma certificação concedida a integrantes das operações em comércio exterior que gera diversos benefícios. Um dos principais é permitir que os processos de importação e exportação aconteçam com maior celeridade, fruto da confiança das autoridades alfandegárias para os atores que possuem o certificado.